- GUIA -


2010

GUIA


01_ Guia
02_ Apelo
03_ Não me dou longe de ti
04_ A tua frieza gela
05_ Readers Digest
06_ Zorro
07_ A deusa da minha rua
08_ Toada Alentejana I
09_ Quase um fado
10_ Barroco tropical
11_ De mares e Marias
12_ Poema dos olhos da minha amada
13_ Fado da vida bela
14_ Em quatro luas
12_ POEMA DOS OLHOS DA MINHA AMADA

(Vinicius de Moraes)

 

Oh, minha amada,

Que olhos os teus:

São cais nocturnos

Cheios de adeus,

São docas mansas

Trilhando luzes

Que brilham longe,

Longe nos breus.

 

Oh, minha amada,

Que olhos os teus!

Quanto mistério

Nos olhos teus;

Quantos saveiros,

Quantos navios,

Quantos naufrágios

Nos olhos teus.

 

Oh, minha amada,

Que olhos os teus!

Se Deus houvera,

Fizera-os Deus;

Pois, não os fizera

Quem não soubera

Que há muitas eras

Nos olhos teus.

 

Ah, minha amada

De olhos ateus:

Cria a esperança

Nos olhos meus

De verem um dia

O olhar mendigo

Da poesia

Nos olhos teus.