- POR MEU CANTE -


2004

POR MEU CANTE


01_ Pra onde quer que me volte
02_ Janela virada p´ro mar
03_ Sra da Nazaré
04_ Uma vez que seja
05_ Sino da minha aldeia
06_ Noite Cheia De Estrelas
07_ Noite Apressada
08_ Verão
09_ Cravo de São João
10_ Rapaz da camisola verde
11_ Que inveja tens tu das rosas
07_ NOITE APRESSADA

(David Mourão-ferreira / Frederico Afonso Rodrigues)

 

Era uma noite apressada

depois de um dia tão lento.

Era uma rosa encarnada

aberta nesse momento.

Era uma boca fechada

sob a mordaça de um lenço.

Era afinal quase nada

e tudo parecia imenso!

Imensa a casa perdida

no meio do vendaval,

imensa a linha da vida

no seu desenho mortal,

imensa na despedida

a certeza do final.

 

Era uma haste inclinada

sob o capricho do vento.

Era minh´ alma, dobrada,

dentro do teu pensamento.

Era uma igreja assaltada

mas que cheirava a incenso,

Era afinal quase nada,

e tudo parecia imenso.

Imensa, a luz proibida

no centro da catedral,

imensa, a voz diluída

além do bem e do mal;

imensa por toda a vida,

uma descrença total.